IMG_2646.jpg

CISM REALIZA FORMAÇÃO PARA GESTORES DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE, SOBRE COMUNICAÇÃO COM A IMPRENSA

  • 30.04.2021

O Centro de Investigação em Saúde de Manhiça, entidade gerida pela Fundação Manhiça, realizou nos dias 21 e 22 do corrente mês, uma formação no âmbito da estratégia de envolvimento comunitário do Programa CHAMPS, no qual foram identificadas acções para maximizar a interação entre os diferentes actores que contribuem para a mudança social e de comportamento das comunidades. Esta formação, visava capacitar os líderes de instituições de saúde sobre como lidar com a imprensa, de modo a contribuir para reduzir o risco de desinformação e garantir uma comunicação eficaz.

A formação que decorreu durante dois dias, contou com participação de Arsénio Manhice e Simão Tomo, como formadores, e de Inácio Sumila, Arlindo Mustafa e Jocas Achar como facilitadores, sendo que, as sessões de abertura e encerramento foram dirigidas pelo representante do Director dos Serviços Provinciais de Saúde (SPS), Dr. Arcangelo Amussala, pelo representante da Direcção Provincial de Saúde (DPS), Dr. Anibal Fernando, e pelo Investigador Principal do Projecto CHAMPS, Dr. Inácio Mandomando. A mesma, contou com a participação de 18 participantes dos quais, médicos chefes, directores clínicos e porta-vozes das diferentes instituições de saúde dos distritos de Quelimane, Mopeia e Mocuba na Província da Zambézia.

Na formação, os representantes da SPS e DPS, reconheceram a importância desta actividade, uma vez que poderá contribuir para a redução do risco de desinformação que na província por vezes resulta em tumultos, isto porque, assim que os profissionais de saúde estiverem capacitados, poderão saber lidar com a imprensa, para que possam transmitir informações pontuais e úteis para a comunidade, de forma clara e objectiva. No entanto, o Investigador Principal do projecto, salientou que um dos objectivos principais da formação, era contribuir para a disseminação de informações fidedignas sobre a saúde, mais concretamente, sobre a mortalidade infantil. Mas também que “desejamos incentivar, os órgãos de comunicação da Zambézia, a transmitir informações colhidas em fontes apropriadas e fidedignas, para garantir que essas informações sejam relevantes e que contribuam para a redução do risco de desinformação,” disse o Dr. Inácio.

Por outro lado, o Dr. Amussala, sublinhou que “estamos aqui para que sejamos capacitados a transmitir informações que possam influenciar às comunidades, aos seus líderes e outros Stakeholders incluindo os profissionais de saúde, na mudança socio-comportamental”. 

De salientar que, esta é uma actividade que consta dos “Data to Action” do projecto, onde foi verificada a necessidade de maximizar a colaboração de todos intervenientes na estratégia de envolvimento comunitário, incluindo os órgãos de comunicação social e os profissionais de saúde. Foi neste âmbito, que foi realizada de 31 de Agosto ao 4 de Setembro de 2020, uma formação para jornalistas baseados no distrito de Quelimane, província da Zambézia, com o propósito de estabelecer uma relação duradoura com os órgãos de comunicação social ao nível do distrito de Quelimane.

Foram temáticas da formação, comunicação e formas de oratória; como criar boas relações com a imprensa; relação do interlocutor com a imprensa; constatações e desafios para a melhoria de prestação de entrevistas a imprensa; o que fazer e não fazer durante uma entrevista; redes sociais: estratégias para comunicação em saúde; aspectos a ter em conta com informação classificada; e, como melhorar a relação entre jornalistas e profissionais da saúde. De salientar, que a actividade foi caracterizada por aulas práticas, onde os participantes puderam simular entrevistas e outras actividades de grupo.