ÁREA DE HIV PREPARA-SE PARA O ESTUDO AQUA

Atualizado: Jun 28



A área de HIV/SIDA do CISM, cuja responsável é a Dra. Tacilta Nhampossa, está a preparar o início de um novo estudo subordinado ao tema, “Adesão e qualidade de vida em pessoas tratadas precocemente vivendo com HIV na Manhiça, Moçambique”, cuja sigla inglesa é AQUA (Adherence and quality of life in early treated people living with HIV in Manhiça, Mozambique). Este estudo, tem como principal investigadora a Dra. Denise Naniche, e conta com o Orvalho Augusto, Edson Bernardo, Laura de la Fuente, Sheila Fernández Luis, Elisa López Varela, Tacilta Nhampossa e Anna Saura, como co-investigadores.

O objectivo do estudo é avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) em adultos e crianças vivendo com HIV no Hospital Distrital da Manhiça (HDM), e avaliar o impacto do início precoce da terapia antirretroviral (TARV) e da adesão à qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) nesta população.

Trata-se dum estudo transversal e uma análise retrospectiva de dados clínicos e demográficos dos participantes, onde um total de 318 adultos >/= 18 anos e 250 crianças de <10 anos residentes no distrito da Manhiça, inscritos no programa de cuidados do HIV do Hospital Distrital de Manhiça (HDM) e com antecedentes de iniciação a TARV entre 12 e 24 meses antes da data do inquérito, serão incluídos, sendo que os pacientes serão selecionados através do sistema electrónico de registo de pacientes do hospital (EPTS), de acordo com a idade e a data de início da TARV.

No entanto, para que o estudo inicie ainda neste mês de abril, conforme previsto, está a decorrer uma formação em matérias de triagem, selecção e recrutamento de participantes do estudo, ministrada pelo Dr. Edson Bernardo e pela Dra. Sheila Fernandez, e no qual participam as enfermeiras Joana Ernesto e Carolina Silvestre Cossa.

De salientar que este estudo, resulta da necessidade de se compreender aspectos sobre o impacto do diagnóstico precoce do HIV, bem como compreender as barreiras e facilitadores para adesão e início à TARV. Espera-se que o mesmo possa contribuir para a identificação de padrões de adesão, factores sociodemográficos e clínicos associados à Qualidade de Vida Relacionada à Saúde (QVRS) em adultos e crianças registados no HDM, avaliar os índices de aderência em adultos e crianças registados no HDM, comparar a QVRS entre os adultos e as crianças registados no HDM com tratamento precoce e tardio, e determinar a QVRS em adultos e crianças não infectados e infectados pelo HIV que vivem no distrito da Manhiça.

Sublinhar que à medida que o tratamento universal é ampliado, um número crescente de pessoas vivendo com HIV (PVHIV) iniciará a terapia antirretroviral (TARV) nas fases iniciais da infecção pelo HIV. Portanto, torna-se crucial entender os aspectos de adesão e QVRS nessas populações. Em Moçambique, como em muitos outros países da África Subsaariana, pouco se sabe sobre o impacto do diagnóstico e início precoce do TARV nas barreiras e facilitadores da adesão à TARV e na QVRS.

0 visualização0 comentário