top of page

ARRANCA A INCORPORAÇÃO DA AMM NO SISTEMA NACIONAL DE SAÚDE


Espera-se que esta iniciativa contribua para a redução dos casos da malária

Chidenguele, um dos cinco postos administrativos do Distrito de Manjacaze, na província de Gaza, acolhe desde 1 de Dezembro corrente, a campanha de Administração Massiva de Medicamentos (AMM), no âmbito do projecto ADAM, uma iniciativa que tem como objetivo final desenvolver uma política para a implementação programática da AMM para o Sistema Nacional de Saúde e que espera administrar medicamentos a cerca de 60 000 pessoas no distrito.


Neste âmbito, teve lugar a 05 de Dezembro, a Cerimónia de Lançamento Oficial da Campanha, dirigida pelo Director dos Serviços Provinciais de Saúde, Silvio Alexandre, em representação do Secretário de Estado da província, Lourenço Lindonde. Na ocasião, Alexandre, disse que, “esperamos que este projecto contribua para a redução dos casos da malária no distrito, particularmente nas mulheres grávidas e crianças menores de 5 anos. Mas também, esperamos que o distrito, passe a ser um exemplo do sucesso da implementação desta estratégia no país.”

Cerimónia de Lançamento da Campanha

Por outro lado, Sérgio Absalão Tsabete, em representação do Programa Nacional do Controlo da Malária (PNCM), salientou na ocasião, que dados epidemiológicos ilustram que a malária continua sendo um problema grave no país e, portanto, é uma prioridade para o Governo, pois, intefere negativamente no desenvolvimento económico e social, perpetuando o ciclo doença/pobreza. No entanto, salientou que “já temos evidências, de que esta estratégia (AMM) funciona em outros locais, pelo que esperamos que tal se confirme no distrito, mas para tal, precisamos do envolvimento de todos intervenientes, incluíndos os líderes locais nesta campanha, durante a qual, esperamos também gerar evidências para informar as políticas e estratégias para eliminação da malária no país”.

"Trata-se de um projecto que se pretende incorporar no Sistema Nacional de Saúde, pelo que valeu a nossa experiência na implementação desta estratégia em projectos anteriores, como o MALTEM"

De acordo com o Director Científico do CISM e Investigador Principal do projecto em Moçambique, Pedro Aide, “é importante destacar que trata-se de um projecto que se pretende incorporar no Sistema Nacional de Saúde, pelo que valeu a nossa experiência na implementação desta estratégia em projectos anteriores, como o MALTEM. Portanto, é crucial que o PNCM esteja a liderar esta fase pois, esperamos que num futuro breve, a mesma seja replicada em outros distritos, ou províncias”, comentou.


“Até então, já foram alcançados cerca de 2 873 agregados familiares, das localidades de Betula, Chidenguele sede, Dengoine e Chicuange, faltando por alcançar a localidade de Banze. Nesta fase, estamos também a monitorar as recusas, cujos motivos são vários, desde a má explicação dos mobilizadores ou aos baixos índices de escolaridade” acrescentou o Director Científico.


O projecto ADAM, é financiado pela Parceria de Ensaios Clínicos da Europa e dos Países em Desenvolvimento (EDCTP), implementado pelo PNCM em coordenação com o CISM, num consórcio que envolve o Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal), e a Wolrd Vision. Este projecto, para além do benefício directo para o país, espera fornecer evidências úteis para outros países africanos onde a malária é endémica, através da comunicação e divulgação de resultados e lições aprendidas no contexto moçambicano.

53 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page