top of page

BILL E MELINDA GATES, RESSALTAM A INOVAÇÃO EM SAÚDE E DESTACAM O PAPEL DO CHAMPS


Bill e Melinda Gates durante a visita às actividades do CISM em Setembro de 2003
Imagine um mundo onde as inovações poderiam salvar a vida de mais de 2 milhões de crianças e mães?

“Imagine um mundo onde as inovações poderiam salvar a vida de mais de 2 milhões de crianças e mães?”. Este é o título de um artigo escrito por Bill e Melinda Gates, co-presidentes da Fundação Gates, financiadora do programa CHAMPS (Child Health and Mortality Prevention Surveillance), uma iniciativa criada em 2015, que para além de Moçambique é igualmente implementado em outros 6 países (Bangladesh, Etiópia, Africa do Sul, Kenya, Malí e Serra Leoa). Coordenado pela Universidade de Emory, o CHAMPS tem como principal objectivo, determinar as causas definitivas de morte em nados mortos e crianças menores de 5 anos.

Todos anos, aproximadamente 5 milhões de crianças morrem antes de completar cinco anos de idade

Os Gates, chamam atenção de que a cada dois minutos uma mãe morre devido a complicações decorrentes de problemas no parto e segundo eles, a probabilidade de um bebé completar pelo menos 1 ano de vida, depois da mãe perder a vida durante o parto, cai para 37%. Em consequência, segundo eles, todos anos, aproximadamente 5 milhões de crianças morrem antes de completar cinco anos de idade e cerca de 2 milhões de bebés nunca respiram pela primeira vez, pois, eles nascem mortos. É neste contexto, que segundo os Co-presidentes da Fundação Gates, surgiu o programa CHAMPS, alinhado aos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM).


Fonte: Gates Goalkeepers : https://www.gatesnotes.com/The-Turning-Point-Our-First-Trip-to-Africa

“A ideia era aprender mais sobre as causas específicas de morte infantil, através da coleta de amostras de sangue e tecidos de crianças que perderam a vida, mas que ninguém tinha certeza sobre as reais causas”, explica Bill Gates, no capítulo que relata as motivações do surgimento do programa CHAMPS, que realiza uma vigilância sobre causas de morte utilizando procedimentos para obtenção de amostras minimamente invasivas de tecidos (MITS), formalmente conhecido como Autopsia Minimamente Invasiva (MIA).

Gates ressalva que a inovação trazida no âmbito do programa CHAMPS

Ademais, Gates ressalva que a inovação trazida no âmbito do programa CHAMPS através da adopção do procedimento MITS, permitiu aos governos obterem evidências mais apuradas sobre as reais causas de morte infantil, pois segundo ele, “há dez anos, as autoridades de saúde pública tinham informações muito vagas sobre as razões pelas quais os bebés e crianças morriam. Naquela época, em qualquer registo da morte de uma criança, a diarreia, desnutrição, pneumonia ou parto prematuro, eram as doenças comumente listadas como causa de morte”.

A medida que as pesquisas avançavam, os médicos e/ou pesquisadores descobriram quadros mais claros da morte

Porém, à medida que as pesquisas avançavam, os médicos e/ou pesquisadores, compilaram e compararam caso por caso, e descobriram quadros mais claros (e muitas vezes surpreendente) da morte infantil. Por exemplo, alguns patógenos eram menos prováveis ​​do que o esperado, como a coqueluche, que causa tosse convulsa, mas outros eram mais prováveis ​​do que esperávamos, como a Klebsiella, que pode ser mais difícil de tratar.


Para além do CHAMPS, programa que em Moçambique é implementado nos distritos de Manhiça (Maputo) e Quelimane (Zambézia) pelo Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM) em coordenação com o Instituto Nacional de Saúde (INS), a Fundação Gates financiou também outras pesquisas importantes, como os estudos, PERCH (Pneumonia Etiology Research Child Health Study), que examinou as causas da pneumonia infantil e o GEMS (Global Enteric Multicenter Study), que examinou as causas das doenças diarreicas e este último foi igualmente implementado pelo CISM no distrito da Manhiça (2011-2013) e que contribui para a introdução da Vacina contra o Rotavirus em Moçambique.

148 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page