CISM PARTE DO CURSO DE GESTÃO DE CIÊNCIA

Atualizado: Jun 28



A Unidade de Formação (UF) do CISM, coordenou junto com o Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal), a organização da 3ª edição do curso de Gestão de Ciência entre os dias 17 e 28 de Maio, cujo principal objetivo é contribuir para uma gestão de qualidade e para a melhoria na coordenação da investigação realizada nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), bem como, capacitar os participantes em conhecimentos e competências especializadas para lidar com os desafios da colaboração internacional na investigação em saúde global. Participaram deste curso virtual, gestores, investigadores, directores de instituições de pesquisa, médicos, responsáveis ou chefes de departamentos, docentes e outros profissionais de saúde dos PALOP.

O curso que conta com o financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação La Caixa, contou nesta 3ª edição com a participação de mais de 30 facilitadores, painelistas e moderadores subdivididos em diversas sessões o público alvo (formandos) estava constituído por 19 participantes, dos quais, 4 do CISM, nomeadamente, Inácio Mandomando, Dinis Ngwenha, Neusa Torres e Anélsio Cossa. Dos facilitadores, destaca-se o Dr. Pedro Alonso, membro honorário do Conselho de Patronos da Fundação Manhiça, Dr. Francisco Saúte, Director Geral do CISM, Engenheira Teresa Machai Macete, Responsável da UF, Dr. Eusébio Macete, Director da Direcção Nacional de Farmácias e Ex-director do Centro, Dr. Antoni Plasència, Director do ISGlobal, entre outros.

De acordo com a responsável UF, Teresa M. Macete, “a formação em Gestão de Ciência abordou questões transversais e fundamentais para o reforço das capacidades científicas das instituições de pesquisa africanas, tornando-a oportuna para os profissionais da área, isto porque, a maioria dos programas de formação na área da gestão promove competências de gestão, mas não fornece formação especializada em gestão da investigação e liderança para o contexto dos países em desenvolvimento, que na sua maioria enfrentam dificuldades ao nível da gestão, organização e planificação, e estes desafios dificultam a sua sustentabilidade”.

Foram temáticas da formação: pesquisa em saúde e inovação, gestão de centros de pesquisa em ciências de saúde, avaliação de tecnologias e ciência, comunicação em ciência, comercialização e direitos de autor em ciências de saúde, como recomendar resultados de pesquisa para adoção de políticas, gestão financeira em pesquisa, pesquisa responsável e inovador, gestão de projetos de pesquisa em ambientes complexos, desenvolvimento profissional na área de pesquisa, entre outros temas.



1 visualização0 comentário