PARLAMENTARES SUIÇOS VISITAM O CISM


Parlamentares do governo Suíço e representantes de organizações pertencentes ao Swiss Malaria Group, visitaram na última terça-feira (12/07) o Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM), com o objectivo de estreitar laços de cooperação entre entidades públicas e/ou privadas suiças com o CISM, especialmente para a realização de ensaios clínicos, e a formação de investigadores.


A delegação composta por mulheres parlamentares do partido liberal (2) e do partido social-Democrata (3), contou também com a presença do Presidente do Swiss Malaria Group, do Director da Medicus Mundi Suiça, dos representantes da SolidarMed e da Swiss Agency for Development and Cooperation, que na oportunidade, puderam conhecer as várias actividades implementadas pelo CISM.


Na comunidade, puderam conhecer uma das 48.080 casas (agregado familiar) inserido na plataforma de vigilância geográfica e demográfica implementada pelo CISM há mais de 25 anos, ao nível do distrito. Na ocasião, Edgar Jamisse, Demógrafo do CISM, explicou que em todo distrito de Manhiça, bem como, nos distritos de Mopeia e Quelimane na Província da Zambézia, é atribuído um número de identificação à cada agregado familiar, o que permite registar todos os eventos vitais, rastrear e seguir casos de doenças e seu histórico, bem como, colher dados qualitativos e quantitativos que permitem medir o impacto das diferentes intervenções, localizar e dar seguimento aos participantes dos diferentes estudos, seguir as tendências demográficas da população, elaborar mapas precisos de distribuição das doenças na área de estudo entre outras potencialidades.


Inquiridor do CISM explicando sobre o processo de recolha de dados na comunidade

Para além das actividades de campo, puderam também conhecer as actividades de vigilância de morbilidade e de assistência clínica prestadas pelo CISM, no Centro de Saúde e Hospital Distrital da Manhiça, com vista a garantir a máxima qualidade dos cuidados de saúde prestados aos pacientes e dos dados gerados no âmbito da vigilância de morbilidade, necessários para a implementação de projectos de pesquisas com componente clínica (ensaios clínicos).


E uma vez no Centro, visitaram os laboratórios que por um lado contribuem para o manuseamento clínico de doentes e por outro para a realização das actividades de pesquisa que necessitem análises laboratoriais, e tiveram a oportunidade de interagir com membros da equipa de gestão e de pesquisa, assim como com investigadores em formação.


Christian Lengeler Presidente do Swiss Malaria Group, Professor de epidemiologia e Chefe de Unidade da Swiss Tropical and Public Health Institute, afirmou em nome da delegação “estamos hoje aqui, porque a nossa filosofia é que a pesquisa em saúde, assim como a pesquisa em geral, estão ao serviço do progresso, e do desenvolvimento, e lutamos não pelo nosso próprio bem, mais porque existe um propósito maior, e porque queremos gerar impacto na melhoria da vida do maior número de pessoas, e podemos lograr através de parcerias”.


Francisco Saúte, Director Geral do CISM, manifestou que, “sentimo-nos lisonjeados por receber esta visita, e terem manifestado estarem impressionados com o nosso Centro, o que de certa forma mostra que o trabalho do Centro está a ser visualizado além-fronteiras, e este tipo de visitas tem essa componente imaterial, que para além de abrir possibilidades de financiamento aos nossos estudos, incentiva-nos a continuar a fazer a nossa pesquisa”.


“Esta visita, significa o aprofundamento da nossa relação com o governo suíço, sobretudo porque é uma comitiva composta por pessoas que podem influenciar o financiamento à pesquisa realizada pelo CISM pelas organizações daquele país” disse o Presidente da Fundação Manhiça, Leonardo Simão.

112 visualizações0 comentário