VICE-MINISTRA DE SAÚDE VISITA O CISM


O Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM), recebeu na última sexta-feira (29/07) uma visita da Vice-Ministra de Saúde, Fárida Algy Abdula Urci, acompanhada pelo Director de Formação e Comunicação em Saúde, do Instituto Nacional de Saúde (INS), Rufino Gujamo. Esta realizou a sua primeira visita ao Centro, na sua qualidade de representante do Governo de Moçambique no Conselho de Patronos da Fundação Manhiça, entidade gestora do CISM.


Durante a visita, a Vice-Ministra teve a oportunidade de conhecer as actividades do CISM, incluindo as implementadas, na comunidade, nas unidades sanitárias e nos laboratórios do CISM. Durante a visita ao campo, mencionou como algo marcante e que poderia melhorar alguns indicadores de saúde, caso se pudesse replicar em outros distritos, a proximidade estabelecida entre o CISM e a comunidade, graças entre outros as actividades realizadas no âmbito da plataforma de vigilância demográfica.


Fárida Urci, foi recebida e acompanhada pelo Director Geral do CISM, Francisco Saúte, que na oportunidade falou-lhe da experiência que o CISM tem adquirido ao longo do tempo, mais concretamente na pesquisa em doenças que constituem os principais problemas para o Sistema Nacional de Saúde, nomeadamente a malária, o HIV/SIDA, a Tuberculose, as Doenças Tropicais Negligenciadas, entre outras.


Abordou também temas relacionados com a Fundação Manhiça, explicando como esta surge, com que propósito, quem são os seus membros, suas respectivas funções, desafios actuais entre outros. Entre os principais desafios discutidos destacar o déficit de financiamento, e grande dependência de financiamento para realização de actividades estruturais e estratégicas do Centro.


A respeito, a equipa de investigadores e gestores com quem a Vice-Ministra interagiu solicitaram que levasse a discussão em foros apropriados a necessidade de ver como aumentar a contribuição monetária do governo de Moçambique. Sensibilizada com este tema, a Vice-Ministra prometeu levar a discussão com o Ministro da Saúde, e estudar formas de continuar a contribuir para o desenvolvimento do Centro. Antes de terminar a interação com a equipa, esta quis deixar uma mensagem de encorajamento, apelando-os a que não desanimem apesar das dificuldades de falta de recursos materiais ou financeiros, necessários para a implementação da pesquisa levada a cabo pelo CISM.


A Fundação Manhiça foi criada em 2008, para dotar ao CISM de uma estrutura legal moçambicana, que facilitasse a sua sustentabilidade e autonomia a longo prazo. São patronos membros actuais da Fundação Manhiça, os Governos de Moçambique e de Espanha, o INS, a Universidade Eduardo Mondlane, Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC) e o Instituto de Saúde Global de Barcelona.

28 visualizações0 comentário