Untitled-1.jpg

CISM E PARCEIROS, CELEBRAM O DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A TB

O Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM), junto com o Governo Distrital da Manhiça e parceiros, realizaram em Nwamatibjana, Localidade 3 de Fevereiro, no dia 24 de Março do corrente ano, um evento de celebração do Dia Mundial de Luta Contra a Tuberculose, subordinado ao lema: “É tempo de agir. A tuberculose tem cura”. Este evento foi dirigido pelo Director dos Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acção Social de Manhiça, Dr. Flezer Tomadote, contou com a presença do Dr. Sozinho Acácio, Investigador do CISM, e a participação de membros da comunidade local. Para além das diversas intervenções feitas, lembrando aos participantes acerca dos sintomas e tratamento da tuberculose, foram realizadas actividades culturais e contadas histórias de sucesso.

De lembrar que, a Organização Mundial de Saúde (OMS) definiu esta data, 24 de Março, em 1982, como o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, em homenagem aos 100 anos da descoberta do bacilo causador da Tuberculose, anunciada por Dr. Robert Koch, uma solução que deu maior contributo para o diagnóstico, tratamento e cura da doença.

No entanto, conforme reconheceu o representante do governo no referido evento, ainda há necessidade de redobrar os esforços com vista à eliminação da tuberculose. Conforme disse o Dr. Flezer, em representação da Administradora do Distrito de Manhiça, Cristina de Jesus Xavier Mafumo, em 2016 o governo de Moçambique declarou a tuberculose como um problema de Saúde Pública, pois o país consta dos 30 países classificados pela OMS como tendo alta carga da doença, co-infecção TB-HIV/SIDA e TB resistente aos medicamentos.

Ainda segundo a fonte do governo, o distrito da Manhiça notificou 1061 casos da doença, dos quais 502 casos (47%), correspondem a pacientes que apresentavam a infecção dupla TB/HIV. “Em 2019 foram notificados 1250 pacientes, destes 1077 (86%) terminaram o tratamento com sucesso, 102 (8%) perderam a vida e 58 (5%) abandonaram o tratamento”, esclareceu a fonte.

Por outro lado, o investigador do CISM, alertou que a tuberculose tem cura e que o tratamento varia de 6 à 8 meses para a TB sensível e de 18 à 20 meses para a TB resistente. Chamou atenção ao facto de que o Distrito da Manhiça apresenta maior número de pessoas que perderam a vida por tuberculose ao nível da província, associado por um lado à demora na ida à unidade sanitária após o início da doença, e por outro, ao abandono do tratamento. Apelou então aos presentes para que sempre que tiverem algum problema de saúde, dirijam-se imediatamente às unidades sanitárias mais próximas, de modo a ter o diagnóstico e cuidados atempadamente, e cumpram correctamente com o tratamento.

A continuação, alguns membros da comunidade presentes no evento, puderam contar algumas histórias de sucesso, sobre sintomas, diagnóstico e tratamento da doença que tiveram.

A cerimónia terminou com a realização de concursos na qual os participantes puderam demonstrar o seu conhecimento sobre os sintomas e tratamento da tuberculose.  

Logo oficial da Campanha
Logo oficial da Campanha
Intervenções dos participantes
Intervenções dos participantes
Intervenções dos participantes
Intervenções dos participantes
Equipa do CISM
Equipa do CISM
Dr. Sozinho Acácio (a esquerda) e Dr. Flezer Tomadote(a direita)
Dr. Sozinho Acácio (a esquerda) e Dr. Flezer Tomadote(a direita)