top of page

LAVAGEM DAS MÃOS REFORÇA A PREVENÇÃO DE DOENÇAS

Atualizado: 2 de nov. de 2023


A mão humana é o órgão responsável por várias funções no dia a dia. Ela é constituída por um complexo conjunto de ossos (27) e articulações (20), sendo considerada o órgão que realiza as tarefas mais elaboradas no corpo humano, depois do cérebro. A limpeza desse órgão pode ser considerada como uma medida de prevenção contra várias doenças, podendo, inclusive, salvar vidas.


No dia 15 de Outubro é celebrado o dia Mundial da Lavagem das Mãos, que reconhece que a lavagem das mãos constitui a principal forma de prevenir a transmissão de doenças e realça a necessidade de continuar nesta dinâmica mesmo após a pandemia de COVID-19. Esta data de celebração foi criada com três objetivos principais: apoiar uma cultura mundial de lavagem das mãos com sabão, chamar a atenção dos governantes para a importância do acto e aumentar a conscientização sobre os seus benefícios.


A lavagem das mãos pode parecer apenas um hábito de higiene: rápido e simples. Porém, é uma forma de prevenção contra diversos tipos de doenças, principalmente as infectocontagiosas (doenças causadas por germes como bactérias, vírus ou fungos que podem ser transmissíveis de pessoa para pessoa de forma directa ou indirecta). Ela pode ser feita com água e sabão ou cinza, sendo essa prática simples responsável pela redução de contaminação com uma parcela de micro-organismos adquiridos pelo contacto com pessoas, objetos e substâncias orgânicas.


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), doenças como a diarreia e cólera poderiam ser evitadas e reduzidas em até 40% se todas as pessoas lavassem adequadamente as mãos. Transformar a lavagem das mãos em um hábito frequente pode salvar mais vidas do que qualquer vacina ou intervenção médica, diminui as mortes por diarreia em 50% e as mortes por infecções respiratórias agudas em 25%.


Com isso, apesar da atenção mundial dada à higiene das mãos, demasiadas pessoas no mundo ainda não têm acesso a água e sabão. Por exemplo, o relatório sobre a Situação da higiene das mãos no mundo co-elaborado pela da UNICEF e OMS em 2021 mostra que “globalmente, três em cada dez pessoas não têm instalações em casa para lavar as mãos com água e sabão. Apenas metade dos centros de saúde em todo o mundo têm instalações para lavagem adequada das mãos e apenas 53% das escolas dos países em desenvolvimento fornecem instalações básicas de lavagem das mãos aos estudantes”.


Neste sentido, o desafio agora é fazer com que as inovações para a limpeza das mãos que surgiram no auge da COVID-19, nas comunidades, sejam utilizadas em grande escala, contribuindo para o alcance da meta mundial de acesso à higiene das mãos para todos até 2030.


O dia 15 de Outubro é também uma forma de apelo a todos os governos, parceiros e comunidades para que intensifiquem as estratégias que visam aumentar o acesso a água potável e ao saneamento, uma vez que a lavagem das mãos com água e sabão faz parte das intervenções economicamente mais vantajosas para reduzir a transmissão de doenças.


Contudo, para evitar doenças transmitidas pela não higienização das mãos é necessário adoptar alguns hábitos saudáveis. Assim, devemos lavar as mãos principalmente nas seguintes ocasiões: antes de manipular ou consumir alimentos; antes e depois de se entrar em contato com pessoas doentes ou acamadas; depois do uso da casa de banho; depois de espirrar, tossir ou assoar o nariz; após manipular objectos potencialmente sujos ou contaminados; após entrar em contacto com animais; e sempre que as mãos estiverem visivelmente sujas.


64 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page