top of page

GOVERNADOR DE INHAMBANE LANÇA QUIMIOPREVENÇÃO PERENAL DA MALÁRIA EM MASSINGA

Atualizado: 14 de jun.



Após a introdução da Quimioprevenção Perenal da Malária (QPM), pelo Ministério da Saúde (MISAU), em Dezembro de 2022, ferramenta em que o CISM também contribuiu para o seu desenvolvimento e introdução no país, o Governador da Província de Inhambane, Daniel Chapo, lançou oficialmente, no dia 25 de abril, dia Mundial da Luta Contra a Malária, no distrito da Massinga, em Inhambane, a estratégia da Quimioprevenção Perenal da Malária (QPM), que decorre no âmbito do projecto Multiply, implementado pelo Centro de Investigação em Saúde da Manhiça (CISM).


A estratégia de quiomioprevenção consiste no tratamento preventivo da malária em criança com até 2 anos de idade e prevê reduzir entre 20 a 30 % dos casos anuais da doença, na província de Inhambane, neste grupo alvo.  Pois, em 2022, mais da metade da população da província (880 mil) teve malária, tendo provocado 17 óbitos. E nos primeiros três meses desde ano, a província registou 180mil casos de malária e três óbitos.


Segundo o governador da província de Inhambane, Daniel Chapo, que discursava na cerimónia oficial do lançamento da QPM e da Semana Africana de Imunização, o lema deste ano “Zero Malária, Tempo de Investir, Inovar e Implementar” enfatiza a necessidade de um investimento, inovação e implementação contínua de acções para manter a luta contra a malária no topo da agenda nacional. O governador disse também que é uma oportunidade para refletir e renovar os esforços e o compromisso da comunidade global contra malária em se unir em torno de um objetivo comum que é ver o mundo “livre da malária”.


“O distrito de Massinga testemunha o lançamento da Estratégia da Quimioprevenção Perenal da Malária em crianças menores de 2 anos. Apelamos, portanto, a todas as mães e outros cuidadores de crianças menores de 2 anos, para afluírem aos locais de vacinação para garantir que as crianças possam ser vacinadas. E esta acção coincide com o inicio da Semana Africana de Imunização que é um evento anual celebrado durante a última semana de abril, com o objetivo de reforçar o programa de imunização na Região Africana, aumentando a consciência da importância da necessidade e do direito de cada pessoa ser protegida de doenças preveníeis por vacina”, disse Chapo, reiterando que as atitudes negativas, mitos, concepções e crenças são os grandes obstáculos para a prevenção, diagnóstico e tratamento da malária contribuindo significativamente na tendência crescente do registo de casos de malária nas unidades sanitárias e pelos Agentes Polivalentes Elementares (APEs).


A QPM implementada na Massinga é resultante do esforço do CISM, em parceria com o Programa Nacional de Controlo da Malária (PNCM), através do projecto MULTIPLY, que visa pilotar a Quimioprevenção Perenal da Malária em Moçambique, Togo e Serra Leoa, pois a malária, continua sendo, nesses países, uma das principais causas das consultas externas.


Em representação aos parceiros do PNCM e a Direcção do CISM, Fabião Luís, proferiu que vários factores contribuem para a endemicidade malária, desde as condições climáticas e ambientais como as temperaturas favoráveis e os padrões de chuvas, bem como locais propícios para a reprodução do vector da doença, sendo o Plasmodium falciparum o parasita mais comum, responsável por mais de 90% de todos os casos de malária no país.


Fabião acrescentou que a mais recente estratégia QPM que esta a ser pilotada no Distrito de Massinga, com o apoio do CISM, é resultado da procura de soluções para os diversos problemas de saúde pública no país, e especialmente no âmbito da luta contra a malária. Essas soluções passam pela capacitação e pesquisa para gerar conhecimento e evidências, assim como pela busca de financiamento para a implementação das estratégias adoptadas, e cumprimento das metas estabelecidas. “Por isso, o Centro de Investigação em Saúde da Manhiça, mantém o compromisso de continuar a trabalhar no desenvolvimento de novas ferramentas de controlo (prevenção e tratamento) e/ou eliminação da malária”, reiterou o representante do CISM.


Referir que para além do distrito da Massinga, o CISM implementa a Quimioprevenção Perenal da Malária em 10 distritos da província da Sofala e prevê-se introduzir na Zambézia.

103 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page