top of page

NOVO ARTIGO ABORDA IMPACTO DAS DOENÇAS BACTERIANAS INVASIVAS NO DISTRITO DA MANHIÇA


Marcelino Garrine autor do artigo

Apesar da redução geral de casos de infecção sanguínea causada pela bactéria Staphylococcus aureus (S. aureus), a mesma esteve associada a mortalidade em crianças menores de 5 anos de idade internadas no Hospital Distrital da Manhiça (HDM), principalmente no grupo infectado por estirpes resistentes aos antibióticos clássicos de primeira linha usados no tratamento empírico. Esta é uma constatação feita num artigo publicado por uma equipa de investigadores sob a liderança de Marcelino Garrine (Investigador Principal do estudo), pertencente a área de Doenças Bacterianas, Virais e Tropicais Negligenciadas do Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM).

S. aureus foi o segundo principal patógeno responsável pela mortalidade a nível global associada à resistência aos antibióticos

Embora a infecção sanguínea por S. aureus seja uma das mais comuns em todo o mundo, são ainda escassas as informações sobre o seu peso na cadeia de eventos da morbi-mortalidade infantil, de modo a definir as melhores estratégias de prevenção e controlo ao nível dos países de baixa renda, incluindo Moçambique. Em 2019, S. aureus foi o segundo principal patógeno responsável pela mortalidade a nível global associada à resistência aos antibióticos, sendo colocado na lista de patógenos prioritários pela Organização Mundial da Saúde (OMS).


Desde 1997, a equipa do CISM vem levando a cabo um estudo para entender a contribuição das doenças bacterianas invasivas no peso da morbi-mortalidade em crianças menores de 15 anos no distrito da Manhiça. Neste contexto, colheram-se amostras de sangue de crianças menores de 15 anos de idade com febre ou em estado grave (com suspeita de infecção sanguínea) internadas no HDM. As amostras foram analisadas através de técnicas laboratoriais de microbiologia para o isolamento de distintos patógenos bacterianos, incluindo S. aureus.


Os dados deste estudo mostraram que de Janeiro de 2001 a Dezembro de 2019 (período em análise), foram colhidas amostras de sangue em 41.891 crianças <5 anos (grupo com maior peso de infecção) internadas no HDM, das quais 3.197 (8%) tiveram infecção sanguínea por algum patógeno bacteriano. Deste grupo, 394 crianças tiveram infecção por S. aureus, com uma taxa de mortalidade intra-hospitalar de 9%, principalmente associada a infecção por estirpes resistentes aos antibióticos de primeira linha usados no tratamento empírico dos pacientes, chamando atenção para necessidade urgente do uso racional dos antibióticos, adiantou Marcelino Garrine.


Referência

89 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page