ARRANCA NOVO ESTUDO QUE TESTA NOVA TÉCNICA DE DIAGNÓSTICO DE TB


Equipa de Investigadores da sub-área da Tuberculose do CISM: Alberto Garcia, Edson Mambuque e Marta Cossa

Anualmente, milhões de pessoas infectadas por tuberculose (TB) não são diagnosticadas por conta do limitado acesso ao diagnóstico, tratamento e consequentemente por desconhecimento do seu estado, estas contribuem para o aumento da taxa de transmissão da doença. Esta brecha levanta a necessidade urgente de adopção de novas ferramentas e tecnologias de diagnóstico da TB, mas também de identificação de cepas resistentes aos medicamentos disponíveis. Adicionalmente, persistem desafios em relação ao diagnóstico e tratamento de pessoas vivendo com HIV/SIDA, através de amostras baseadas em escarro.


É neste contexto, que o Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM) em Coordenação com o Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal) e sob financiamento da European and Developing Countries Clinical Trials Partnership (EDCTP), irá implementar um ensaio clínico denominado EXULTANT, como parte de um consórcio denominado TB-CAPT (Close the gap, increase Access, Provide adequate Therapy), que para além do CISM incorpora o Instituto Nacional de Saúde (INS) e outras duas organizações da Tanzânia, nomeadamente o Instituto de Saúde Ifakara (IFAKARA) e o Instituto nacional de Pesquisa Médica (NIMR). Para além do EXULTANT, no âmbito deste consórcio, estão a ser implementados 2 outros ensaios clínicos, nos quais o CISM participa.

O estudo (EXULTANT), visa avaliar o impacto da adopção de uma estratégia alargada de uma ferramenta de deteção de casos de TB o Xpert Ultra. Esta avaliação não se baseará somente no escarro, mas também na urina, fezes/zaragatoa rectal e zaragatoa oral em pacientes hospitalizados com HIV na proporção de confirmação bacteriológica em 72 horas do recrutamento, como ferramentas para o diagnóstico da TB. Adicionalmente conta com o uso de outra ferramenta denominada “AlereLAM” para a urina e Proteína C Reactiva usando a plataforma LumiraDx no ponto de atendimento.


Segundo Alberto García-Basteiro, coordenador da área de Tuberculose e HIV-SIDA do CISM, “este estudo, contribuirá para avançar algoritmos de diagnóstico usando o diagnóstico molecular em pessoas hospitalizadas com HIV. No âmbito desta iniciativa, tivemos a oportunidade de discutir e optimizar como os procedimentos do estudo serão implementados em cada um dos locais de estudo e estamos ansiosos para iniciar o recrutamento de participantes do estudo em todos os sites.”

Marta Cossa, Médica

Por outro lado, Marta Cossa, médica do CISM, defende que “o estudo proposto visa abordar algumas barreiras existentes, trazendo o dispositivo de diagnóstico para mais perto dos pacientes nas unidades de saúde primária. Deste modo, esperamos com esta iniciativa contribuir para reforçar as estratégias do Programa Nacional de Tuberculose e gerar evidências que permitam incrementar as ferramentas nacionais de diagnóstico e tratamento da Tuberculose, alternando as amostras tradicionais (escarro) adoptando novas amostras tais como a urina, fezes/zaragatoa rectal e zaragatoa oral.


O Xpert Ultra é a versão mais actualizada do Xpert MTB/RIF, aprovada pela Organização Mundial da Saúde em 2010 e que até então, ajudou a melhorar os programas de TB em mais de 130 países. Esta ferramenta revolucionou o tratamento das infeções por Mycobacterium tuberculosis (MTB) ao providenciar o diagnóstico mais rápido e exacto de MTB que deteta simultaneamente o MTB e a resistência à rifampicina (RIF). Após a aprovação da Organização Mundial da Saúde em 2010, o Xpert MTB/RIF ajudou a melhorar os programas de TB em mais de 130 países.