top of page

ESTUDO ALIVE ALCANÇA GRUPO ALVO



O estudo ALIVE (ALbendazole e IVErmectina) implementado no âmbito do projecto STOP em Moçambique (distrito de Manhiça, Maputo) pelo Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM), sob financiamento da European and Developing Countries Clinical Trials Partnership (EDCTP), está a avaliar uma combinação em dose fixa (FDC) de ALbendazole e IVErmectina para o tratamento contra geohelmintos (parasitas transmitidos pelo solo).


Os geohelmintos são um grupo de parasitas que causam doenças e afectam na maioria das vezes o intestino, e causam diversos sintomas similares aos de outras parasitoses intestinais. Apesar das diferenças nas suas manifestações clínicas e mecanismos de infecção, todos são transmitidos em áreas com água, saneamento e higiene inadequadas. Estas doenças são as mais prevalentes de todas as Doenças Tropicais Negligenciadas (DTNs) em todo o mundo e afectam de forma desproporcional às populações mais desfavorecidas, o que causa morbidade significativa em crianças em idade pré-escolar e escolar.


Neste contexto, o CISM, iniciou em Outubro de 2022 a implementação do ensaio clínico ALIVE no Posto Administrativo de Maluana, concretamente nas Escolas Primárias Completas de Pateque, Taninga, Maluana e Secundária Filipe Jacinto Nyusi, no Distrito da Manhiça. Neste ensaio clínico, o principal objectivo é avaliar a combinação em dose-fixa de ALB-IVM administrada em dose única ou em 3 dias consecutivos com o tratamento actualmente recomendado, que é uma dose única de ALB. Para fazer esta avaliação, aborda-se indivíduos em idade escolar (dos 5 aos 18 anos) com pelo menos 15 kg e que tenham infecção por pelo menos uma das espécies de geohelmintos.


Em março do corrente ano, a equipa do CISM atingiu uma meta importante do estudo que foi alcançar o tamanho de amostra necessário para fazer a avaliação de um dos geohelmintos em estudo, ao recrutar 161 crianças infectadas, as quais foram aleatorizados (a um dos 3 grupos de tratamento) e tratadas (receberam apenas albendazole ou a combinação albendazole-ivermectina). Este número de recrutados resulta da triagem de cerca de 1.200 alunos da Escola Primária Completa de Pateque.

...Agora podemos avaliar a eficácia do novo tratamento contra os helmintos...

“Com as 161 crianças, somadas às recrutadas no Quénia, outro país que também implementa o estudo, atingimos o tamanho de amostra necessária (499 crianças) para avaliar a resposta ao tratamento deste geohelminto”, afirma Augusto Messa Jr. pesquisador do CISM e integrante da equipa do projecto STOP. Por outro lado, o Investigador Principal do estudo, Inácio Mandomando, destaca que “este é um marco muito importante, pois agora podemos avaliar a eficácia do novo tratamento contra os helmintos, que é o desfecho primário do estudo”.


O ALIVE é um ensaio clínico de fase III e tem como objectivo principal avaliar a eficácia da FDC em dose única ou em 3 dias consecutivos em comparação com o tratamento padrão actual, uma dose única de ALB (400 mg) para o tratamento de geohelmintos em crianças em idade escolar. Para além de Moçambique e Quénia o mesmo é igualmente implementado na Etiópia, sob a coordenação do Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal).

68 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page