PROJECTO TIPTOP APRESENTA RESULTADOS PRELIMINARES


O evento, contou com a participação dos parceiros de implementação, investigadores e tomadores de decisão em vários sectores do MISAU

Teve lugar na última segunda-feira (07/03) na cidade de Maputo, uma reunião de apresentação de resultados de várias componentes do projecto Tip-Top, implementado desde 2018 sob financiamento da UNITAID. Esta reunião, contou com a presença de investigadores do CISM, ISGlobal e JHPHIEGO (Moçambique), de outras organizações da sociedade civil, como também, dos representantes dos Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acção Social de Meconta, Morrupula (Nampula) e Nhamatanda (Sofala).


O encontro foi moderado pelo Chefe do Programa Nacional de Controlo da Malária (PNCM), Baltazar Candrinho. Na oportunidade, o Chefe do PNCM, salientou a importância da organização do evento, uma vez que o mesmo poderá servir para assimilação dos resultados desse projecto pelos implementadores, financiadores e tomadores de decisão presentes no evento.


Este projecto, visa explorar uma abordagem alternativa à consulta pré-natal (CPN) para a administração do Tratamento Intermitente Preventivo (TIP) da malária a nível da comunidade de forma sustentável e inovadora, no sentido de contribuir para o aumento da sua cobertura em quatro países da África Subsaariana nomeadamente: Nigéria, República Democrática do Congo (RDC), Madagáscar e Moçambique.


Neste contexto, o Director Científico do CISM, Dr. Pedro Aide, disse que “espera-se com as actividades de pesquisa levadas a cabo pelo CISM em coordenação com o ISGlobal encontrar evidências científicas sobre os aspectos relevantes a ter em conta para uma potencial adopção desta estratégia que visa aumentar a absorção de três doses do TIP assim como medir a eficácia e o interesse em saúde pública da administração do TIP-SP na comunidade”.

“Para tal, desde 2018, o CISM realizou estudos em três componentes nomeadamente (1) inquéritos aos agregados familiares (antes e depois das intervenções) para avaliar a cobertura do TIP em cada um dos 3 distritos envolvidos no projecto; (2) estudos sociais para estudar as percepções comunitárias em relação ao TIP, identificar barreiras e facilitadores em relação a esta intervenção, e, (3) Estudos económicos para avaliar a efectividade desta intervenção, assim como estudos para identificar marcadores de resistência ao falcidal (Sulfadoxina Piremetamina- SP) cujos resultados ainda se aguardam”, acrescentou o director Cientifico.


De acordo com Edgar Jamisse, Demógrafo do CISM, na primeira componente, “foram realizados no total cerca de 12008 entrevistas/inquéritos a cerca de 213 agregados familiares dos 3 distritos de implementação do projecto (Meconta, Morrupula e Nhamatanda)”.


Por sua vez, Estevão Mucavel, referiu que a segunda componente do estudo (social), tinha como objectivo, avaliar a viabilidade e aceitabilidade das mulheres grávidas e diferentes membros da comunidade em relação a administração comunitária do TIP-SP pelos Agentes Polivalentes Elementares (APEs), nos distritos de Nhamatanda, Meconta e Murrupula, em Moçambique. E os resultados desta segunda componente, apresentados por Mucavel, permitiram concluir que a intervenção é viável porque há uma tendência de maior aceitação, mas algumas barreiras como o medo das reações adversas da SP e a influência de parentes e amigas com má percepção sobre o fármaco (SP), se mantém. Deste modo, recomendam, (1) aumentar o envolvimento dos líderes comunitários e parteiras tradicionais na intervenção; (2) envolver a mão-de-obra (APEs e ACS) do género feminino no mapeamento e administração do TIP-SP, e (3) intensificar a promoção da SP comunitário, de modo a minimizar as barreiras e maximizar a aceitação da intervenção.


Abel Nhama, pesquisador do CISM, salientou que o principal objectivo do estudo referente à terceira componente, do qual foi responsável, era determinar se o TIP comunitário com SP pode levar ao aumento da taxa de resistência ao SP, avaliado através de marcadores moleculares na população. “Este estudo, foi realizado em dois distritos um como local de intervenção (Nhamatanda) e outro como de controlo (Dondo) na província de Sofala, onde foi possível colher 618 dados, cujas amostras ainda estão em análise”.

34 visualizações2 comentários