INICIA NOVO ESTUDO SOBRE O DIAGNÓSTICO DA TUBERCULOSE E HIV


3 Centros africanos de entre os quais o Centro de Investigação em Saúde de Manhiça (CISM), Moçambique, o Baylor College of Medicine Children's Foundation -COE Mbeya, Tanzania e o Baylor eSwatini Clinical Centre of Excellence (COE), Mababane, Eswatini, irão implementar um estudo multicêntrico para avaliar a utilidade de uma plataforma de diagnóstico da tuberculose baseada em fezes.


O estudo intitulado, “Avaliação de uma nova qPCR com base em fezes para o diagnóstico da tuberculose em crianças e pessoas vivendo com HIV no distrito da Manhiça em Moçambique”, prevê avaliar a precisão do diagnóstico e rendimento aditivo de fezes no diagnóstico da tuberculose infantil e pessoas infectadas pelo HIV através de uma ferramenta chamada PCR (Reacção da Polimese em Cadeia), quantitativa (qPCR) para o bacilo da tuberculose usando amostra de fezes (MtbqPCR).


Dr. Sozinho Acácio, Co-Investigador do projecto e Investigador da área de tuberculose do CISM refere que: “apesar da melhoria no diagnóstico da tuberculose, a tuberculose infantil continua a ser um grande desafio, e dadas as limitações dos testes de diagnósticos baseados no escarro actualmente disponíveis para essas populações, é necessário desenvolver novas ferramentas e identificar amostras não respiratórias que sejam fáceis de colher, e que, combinadas, podem melhorar a confirmação laboratorial. Portanto, espera-se contribuir com novas ferramentas que possam confirmar laboratorialmente a tuberculose infantil e em pessoas vivendo com HIV”.


O estudo irá recrutar 450 participantes (150 casos por site) com tuberculose confirmada laboratorialmente e clinicamente diagnosticados, que vão iniciar o tratamento específico para tuberculose, incluirá também, 261 (87 por site) contactos domiciliares (indivíduos saudáveis) de casos índices confirmados bacteriologicamente e 30 (10 por site) casos de tuberculose resistente a múltiplas drogas.


Em Moçambique, no distrito da Manhiça, os participantes serão recrutados no Hospital Distrital da Manhiça Sede (casos pediátricos e adultos), e no Hospital Rural de Xinavane, no Centro de Saúde de Palmeiras, e no Centro de Saúde da Maragra apenas casos pediátricos.

Para responder aos objectivos do estudo, o Dr. Dinis Nguenha, médico na área de tuberculose e a Sra. Chilzia Munguambe, Técnica de Laboratório do Centro, foram treinados em questões de procedimentos no vizinho Reino de eSwatini, um dos sites implementadores do estudo, com vista a adquirir conhecimentos que visem apoiar na materialização deste estudo.


O início do estudo está previsto para finais de Dezembro de 2020 ou início de Janeiro de 2021, e terá uma duração de 4 anos. Para além dos 3 centros onde irão decorrer as actividades de implementação, o estudo conta com a coordenação do Baylor College of Medicine (BCM), Houton, Texas, USA, e a colaboração do Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal), do Amsterdam Institute for Global Health and Development, da Holanda e do Brostel Research Center, da Alemanha, e é financiado pela National Institutes of Health (NIH).


A nível local a equipa de investigadores do estudo está composta por Alberto García-Basteiro Investestigador Principal, Sozinho Acácio, Olga Cambaco, Joaquim Cossa, Neide Gomes, Elisa López-Varela, Edson Mambuque, Khátia Munguambe, Shilzia Munguambe, Dinis Nguenha, Belén Saavedra, e Delfino Vubil como Co-Investigadores.

20 visualizações0 comentário